Inicial / APP / Com menos recursos do SUS, Hospital Viamão deixará de fazer partos e reduzirá atendimentos

Com menos recursos do SUS, Hospital Viamão deixará de fazer partos e reduzirá atendimentos

Hospital de Viamão deixará de fazer partos das gestantes, que serão encaminhados ao Hospital de Alvorada

Com amedida, a partir de abril os Viamonenses passarão a ser Alvoradenses.

O vereador Luís Armando Azambuja (PT), da Comissão de Defesa da Saúde da Câmara, e autor da Frente Parlamentar Não Deixe o Hospital Parar, em audiência, na tarde de ontem (08/3) com os gestores do Instituto de Cardiologia Hospital Viamão, o diretor administrativo, Leandro Gomes dos Santos, e o diretor técnico, Dr. João Almir Camargo Jorge, foi pedir explicações referente a situação dos atendimentos e racionalização de recursos, atendimentos e serviços anunciadas para ocorrer nos próximos dias.

O vereador Armando Azambuja (no meio), com os gestores do Instituto de Cardiologia Hospital Viamão, o diretor administrativo, Leandro Gomes dos Santos, e o diretor técnico, Dr. João Almir Camargo Jorge (de avental).

Na audiência, diretor técnico, Dr. João Almir Camargo Jorge, informou que a partir do mês de abril, o Hospital de Viamão deixará de fazer partos, mas garantiu que nenhuma mulher do município ficará desistida. “Estamos adquirindo uma ambulância, exclusivamente para realizar os serviços de transportes das gestantes que procurarem o Hospital, e vamos leva-las até o Hospital de Alvorada, que fica de 10 a 15 minutos daqui, e que vai funcionar como espécie de retaguarda dos partos de Viamão”, explicou.

Atualmente, mais de 80% dos 3,6 mil partos de gestantes moradoras de Viamão já são realizados em Porto Alegre ou em outras localidades. Cerca de 650 partos são realizados anualmente no Hospital de Viamão. “É menos de dois partos por dia, um número muito baixo para uma operação que envolve um custo altíssimo”, apontou o diretor administrativo, Leandro Gomes.

Qual a sua opinão ?

A favor, contra ou indiferente?


Através deste post, o vereador Armando, trás o debate, e, em sua Página Facebook Vereador Armando, pergunta a população de Viamão:

Hospital de Viamão vai fechar
maternidade em abril, e vai transportar
gestantes ao Hospital de Alvorada
para procedimento de partos.
Qual sua opinião?

A favor, contra ou indiferente?

A expectativa é saber a opinião da comunidade nesse tema, após anúncio da decisão da direção do Hospital de Viamão, pelas considerações exposta nesta notícia.

Participe desse debate na Página Facebook do Vereador Armando 

Página Facebook Vereador Armando
(clique aqui para opinar)
.

*Pesquisa iniciada às 11h. de 13/03/2017, e atualizada em dados às 13h de 15/03/2017.

A qualquer momento voltaremos a atualizar os dados.

Obrigado aos participantes.

0
Contra
0
A favor
0
Indiferente e outras
0
Comentários

Parcial das opiniões da comunidade na Página do Facebook Vereador Armando

Contra
A favor
Indiferente e outras
Comentários

Hospital de Viamão não vai fechar e nem vender para outra instituição

Mesmo com racionalização de recursos, nenhuma gestante ficará desassistida, e os serviços de emergência, traumatologia e neurologia, continuarão 24h no Hospital de Viamão.

De acordo com o vereador Armando, os reais motivos dessa racionalização dos atendimentos e serviços do Instituto de Cardiologia de Viamão, se deve, principalmente, pela redução em 20%, ou R$ 630mil/mês, do montante dos recursos da contratualização do Sistema Único de Saúde (SUS), que deveria ser repassados mensalmente pelo Governo do Estado, da qual a partir do mês de março, vai atingir todos os Hospitais Gaúchos, impactando na gestão financeira do Hospital de Viamão, combinado com o rombo aberto, depois dos atrasos dos recursos mensais que não eram quitados pelo Estado, gerando um montante que ultrapassou a R$ 18 milhões, que acabou ocasionando em atraso da folha de pagamento dos médicos, de até quatro meses.

“Teve um período, que o Hospital de Viamão chegou a paralisar parte dos atendimentos, como o laboratório onde são realizados os exames e as cirurgias eletivas, por falta de repasse dos recursos do Governo do Estado, com reflexos e prejuízos no atendimento a população viamonense que depende do SUS para tratamento de saúde”, lembrou o vereador Armando, ao defender ações em defesa, para não deixar o Hospital parar.

Nesse caso, explica o vereador Armando, “para receberem os recursos atrasados, o Hospital de Viamão teve que aceitar a redução em 20% dos repasses mensais contratados daqui para frente, e os reflexos disso, é a racionalização de serviços prestados a população”.

Por outro lado, o diretor administrativo, Leandro Gomes, garantiu ao vereador Armando, que o Instituto de Cardiologia – Hospital Viamão, vai manter as portas abertas a população, e que as medidas a serem adotadas deixa a gestão em condições de excluir quaisquer possibilidade e risco de fechar ou entregar para outra instituição. “Representa uma das maneiras de tentar manter o hospital com as contas em dia e aberto para a população”, completou Leandro Gomes.

O diretor técnico, Dr. João Almir, adiantou que a medida também busca qualificar e reforçar os atendimentos mais procurados e necessários aos viamonenses, como os serviços de emergência, traumatologia e neurologia, com efetivo de plantão 24h de: dois clínicos, um pediatra, dois cirurgiões, um intensivista, um neurologista e um traumatologista, além dos demais servidores que formam as equipes de enfermagem e de apoio. “Além disso, garantimos que nenhuma gestante ficará desassistida. Precisou do parto, nossa ambulância vai levar para o Hospital de Alvorada, e que inclusive conta com UTI Neonatal, um recurso que o Hospital de Viamão não tem”, enfatizou o diretor técnico.

Hospital de Viamão não vai fechar e nem vender para outra instituição

Mesmo com racionalização de recursos, nenhuma gestante ficará desassistida, e os serviços de emergência, traumatologia e neurologia, continuarão 24h no Hospital de Viamão.

De acordo com o vereador Armando, os reais motivos dessa racionalização dos atendimentos e serviços do Instituto de Cardiologia de Viamão, se deve, principalmente, pela redução em 20%, ou R$ 630mil/mês, do montante dos recursos da contratualização do Sistema Único de Saúde (SUS), que deveria ser repassados mensalmente pelo Governo do Estado, da qual a partir do mês de março, vai atingir todos os Hospitais Gaúchos, impactando na gestão financeira do Hospital de Viamão, combinado com o rombo aberto, depois dos atrasos dos recursos mensais que não eram quitados pelo Estado, gerando um montante que ultrapassou a R$ 18 milhões, que acabou ocasionando em atraso da folha de pagamento dos médicos, de até quatro meses.

“Teve um período, que o Hospital de Viamão chegou a paralisar parte dos atendimentos, como o laboratório onde são realizados os exames e as cirurgias eletivas, por falta de repasse dos recursos do Governo do Estado, com reflexos e prejuízos no atendimento a população viamonense que depende do SUS para tratamento de saúde”, lembrou o vereador Armando, ao defender ações em defesa, para não deixar o Hospital parar.

Nesse caso, explica o vereador Armando, “para receberem os recursos atrasados, o Hospital de Viamão teve que aceitar a redução em 20% dos repasses mensais contratados daqui para frente, e os reflexos disso, é a racionalização de serviços prestados a população”.

Por outro lado, o diretor administrativo, Leandro Gomes, garantiu ao vereador Armando, que o Instituto de Cardiologia – Hospital Viamão, vai manter as portas abertas a população, e que as medidas a serem adotadas deixa a gestão em condições de excluir quaisquer possibilidade e risco de fechar ou entregar para outra instituição. “Representa uma das maneiras de tentar manter o hospital com as contas em dia e aberto para a população”, completou Leandro Gomes.

O diretor técnico, Dr. João Almir, adiantou que a medida também busca qualificar e reforçar os atendimentos mais procurados e necessários aos viamonenses, como os serviços de emergência, traumatologia e neurologia, com efetivo de plantão 24h de: dois clínicos, um pediatra, dois cirurgiões, um intensivista, um neurologista e um traumatologista, além dos demais servidores que formam as equipes de enfermagem e de apoio. “Além disso, garantimos que nenhuma gestante ficará desassistida. Precisou do parto, nossa ambulância vai levar para o Hospital de Alvorada, e que inclusive conta com UTI Neonatal, um recurso que o Hospital de Viamão não tem”, enfatizou o diretor técnico.

Confira os dados e os números do Hospital de Viamão

– O Hospital possui 175 leitos disponíveis, sendo que 161 são para atendimentos do SUS;

– Custo mensal da Emergência do Hospital é de R$ 1,7 milhão;

– São realizadas em média por ano: 5,9 mil internações, 61 mil atendimentos na emergência, 14 mil atendimentos de consultas especializadas, 540 mil exames laboratoriais, 38 mil exames de raio-X.

– O Hospital de Viamão é referência para as cidades de Alvorada e Cachoeirinha nos atendimentos de traumatologia, neurologia e saúde mental.

– Viamão tem uma população estimada de 260 mil habitantes e estima-se que 84% da população de Viamão dependa exclusivamente do SUS;

Sobre o Vereador Vereador Armando

O vereador Armando, como é popularmente conhecido, tem 45 anos, é jornalista/radialista, técnico em contabilidade, Bacharel em Direito, e, pós- graduado em Gestão Hospitalar. Armando foi eleito para o quinto mandato de vereador. Armando é considerado um dos vereadores mais atuantes e experientes do Legislativo. É o campeão de projetos e de leis aprovadas e sancionadas.

Além disso, verifique

Prefeitura de Viamão vai chamar mais quinze concursados